Team Roping ou Laço em dupla

Praticamente seu surgimento se deu em terras de gado americano, não era popularmente usado como esporte, e seu intuito era em auxiliar a lida e o dia-a-dia dos cowboys. A prova é em dupla de cavaleiros e seus respectivos cavalos que imobilizam um novilho com uma laçada na cabeça do animal e a outra nas patas traseiras, no menor tempo possível. A prova ocorre em arena com solo de areia e bretes. O laçador que ocupa o lado esquerdo do brete é chamado cabeceiro, pois é ele que deve laçar a cabeça do novilho, e o competidor do lado direito tem que laçar as patas traseiras, portanto é o peseiro. O cabeceiro, após posicionar-se, pede licença ao peseiro e dá o sinal para que soltem o novilho. Existe um tempo limite de 60 segundos para o competidor entrar no brete e pedir o boi, após ter sido chamado pelo locutor e a pista liberada, ao sair do brete, o boi automaticamente desarma a barreira que é representada por uma corda ou que ativa uma fotocélula. Os laçadores só devem partir após esse momento, quando é acionado o cronômetro. Quando um competidor estiver inscrito em outras modalidades ou ser treinador de animais inscritos em outras modalidades ou esteiro, na etapa, ele terá direito de remanejar sua ordem de entrada na pista, desde que informe à mesa logo após o sorteio e antes do início da prova. Dentro do prazo de 60 segundos, o competidor tem direito de lançar três cordas, não sendo permitido refazer a laçada, ou seja, terá que levar a segunda corda consigo. A terceira laçada poderá ser do cabeceiro ou peseiro, sendo duas do cabeceiro e uma do peseiro ou uma do cabeceiro e duas do peseiro.


Qual a finalidade do brete?

É um corredor onde o boi é mantido até que recebe o sinal, então partido em disparada para dar inicio a prova. Ele deve ter largura de 60cm a 80cm, a menos que seja aprovado o contrario pelo representante oficial do evento e o Comitê de Rodeios da FNRC.


Qual é a utilidade da barreira?

É o local da largada onde sai os dois competidores em direção ao novilho. Ela deve ter de 60% a 75% do comprimento do boxe de partida do cabeceiro de acordo com o tamanho da pista e a barreira do peseiro deve ter 60% do tamanho do cabeceiro. Poderá ter alteração mediante aprovação do representante oficial do evento e pelo Comitê de Rodeio Cronometrado da FNRC. Em caso de falha de barreira, se o juiz achar que o competidor foi prejudicado, tem o direito de uma nova corrida no mesmo boi, desde que se declare imediatamente. Se apesar da falha da barreira a bandeira funcionar corretamente, o competido receberá o tempo. A penalidade da barreira só se aplicará caso no julgamento do juiz o competidor realmente tenha quebrado a barreira. 


O que é a expressão "Boi que nega"?

A expressão que dizer, quando o competidor pedir o boi e este brecar ou negar depois que sair do brete, ele terá direito a outro boi, desde que o cabeceiro ou peseiro não tenha arrebentado a barreira antes de uma distância de 100% a mais do tamanho da barreira e nem tenham jogado a corda.


Quando é válida a laçada?

O juiz de pista deverá baixar a bandeira quando o boi for laçado pela cabeça e pés, e quando ambos os cavaleiros estiverem de frente para o boi em linha, com o laço esticado e enrolado no pito da sela. O boi deverá estar de pé para ser laçado.


Como é válida "Laçada de Pé" e "Laçada de Cabeça?"?
Laçada de Pé - Antes que a Laçada do peseiro possa ser arremessada, o boi deve estar em movimento, ter tido sua trajetória modificada pelo cabeceiro, o qual deve estar em controle do boi e o laço do cabeceiro deve estar enrolado, completando uma volta no pito da sela. A laçada de pé somente é valida quando o juiz de pista abaixar a bandeira e a corda estiver em um ou dois pés do boi e atrás da paleta. Mesmo com a bandeira do juiz abaixada e a laçada cerrada, é resguardado ao juiz o direito de invalidar a laçada, caso este constate alguma irregularidade.

Laçada de Cabeça - Haverá somente três laçadas válidas de cabeça: em torno de ambos os chofres; na metade da cabeça ("meia-cara"); em torno do pescoço.


Quais são os tipos de Penalidades?

Poderá o cabeceiro laçar o novilho pelo pescoço, chifre, ou meia cara (pescoço e um dos chifres). Assim que o boi já laçado, é puxado e mudado de rumo pelo laçador de cabeça, é hora do peseiro começar. Somente nessa hora é que o peseiro deve completar o serviço que foi começado pelo cabeceiro. Se o fizer antes disso, a dupla será desclassificada. Essa falta é como carretão. Se o novilho for laçado somente por uma das patas traseiras, a dupla será penalizada em 05 segundos. As duplas de laçadores são avaliadas pelas médias de tempo obtidas nas provas classificatórias e na final, ficando a critério dos organizadores determinar o número de bois que cada dupla terá que laçar em todas as provas. Geralmente, serão de 03 a 05 bois para duplas amadoras, e de 06 a 08 bois para duplas profissionais. Um laçador somente poderá vencer se não errar nenhum boi. Por causa desta dificuldade, diversas inscrições são realizadas durante a competição, para aumentar as possibilidades. Também existem outras laçadas desclassificatórias; a serigola no chifre; a laçada no chifre ou cabeça em forma de oito; cruzar a laçada por si própria por duas vezes; se o laço estiver na boca do boi; laçada pela paleta.


Quais são as categorias para o Laço em Dupla?

Há vários tipos de competidores; aqueles com handicap de três e quatro são da categoria B; competidores com handicap de cinco, seis e sete são da categoria ª O handicap de cada competidor é definido pelo Comitê de Rodeio Cronometrado da FNRC no momento de sua afiliação à entidade e é valido para toda a temporada, podendo ser mudado na próxima temporada.


Quais são os tipos de gado para o Laço em Dupla?

Os bois devem ter no mínimo 15cm e no Máximo 30cm de chifre. O peso (vivo) dos bois deverá ser de no mínimo 200KG e no Máximo de 270KG. Em todo o gado usado na modalidade de laço em dupla deverá ser usado protetor de chifres.


Como treinar os cavalos?

É necessário que os cavalos sejam especialmente treinados para cabeceio e peseio. Os procedimentos são bem diferentes para cada uma dessas especialidades, devido aos detalhes exigidos para o trabalho que cada um irá executar. Para os dois tipos de trabalho inicia-se o adestramento do cavalo rodando o laço em cima dele, para que ele vá se habituando com seus movimentos. Ele terá que ir se acostumando com o fato que a corda não lhe oferece nenhum tipo de perigo. Passe-a tocando no pescoço e garupa, até que ele se acostume com seu contato. Então, é hora de fazê-lo travar conhecimento com o boi. Faça o cavalo seguir um novilho pela arena inteira, sempre com o laço pronto nas mãos. Escolha primeiramente os novilhos mais lentos. Agora, é hora de começar a aprendizagem da prática especifica. A partir desse ponto, pois o adestramento realizado todos os dias é indispensável, pois cada gesto estará sendo aprendido pelo animal com a repetição. Assim, o cavalo começa a entender cada movimento executado, colaborando e facilitando o trabalho do laçador.


Qual é o equipamento apropriado para o Laço em Dupla?

O equipamento utilizado primeiramente uma sela boa e confortável com costura reforçada para aguentar o novilho. Como o cavalo pode chocar uma pata com a outra e fazer paradas bruscas(esbarros) que podem causar lesões, usa-se as caneleiras, "cloches" e "skid boots", nas provas e também nos treinamentos. Devem-se usar freios, rédeas e gamaras, pois suas escolhas dependem da fase do animal e do adestramento. 

O laço é outro acessório indispensável, deve ser em poliéster e nylon, conhecido como "Laço Americano" e na outra mão, o laçador deve usar luva. O laço para cabeceiro será mais curto (mais ou menos 10 metros de comprimento, que o do peseiro (uns 15 metros de comprimento). As cordas são especiais, podendo ser leves e pesadas, mais rápidas ou menos rápidas. Os laços recebem nomes diferentes conforme sua textura. Para cabeça são usadas cordas mais macias, conhecidas como: "Extra-Soft" (extra macia); "Soft"(Macia) e "Médium-Soft"(macia média). Para os pés serão mais duras: "Médium-Soft"(macia média); "Médium"(media);"Hard-Medium"(média-dura) e "Mediumhard"(dura-média).

Como o laço já esta sendo muito praticado por crianças, existem cordas especiais para elas, para a pratica em cavaletes. Mas já existem em diversos torneios as presenças desses pequenos peões e fazendo que esse esporte cresce a cada dia mais em nosso Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário